ATA* DA ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE 30.03.2013
*
transcrita da cópia do original em arquivo .pdf (clique aqui para ver)

Clique aqui para ver a convocação e pauta

Segunda convocação às 16:30

A Assembléia foi iniciada aos 30 dias do mês de março de 2013, nas dependências do Boliche Del Rey, com o presidente Cesar Maciel consultando quem poderia secretariar a sessão e, por acordo dos presentes, foi escolhido o Sr. Asdrubal Pedreira Brandão Neto.

A seguir passou-se a conferência daqueles legalmente representados e apurou-se os seguintes presentes:
> Federação Baiana de Boliche - Presidente Asdrubal Pedreira Brandão Neto
> Federação Mineira de Boliche - Walter Costa (p.p.)
> Federação de Boliche do Rio de Janeiro - Guilherme Vedovani (p.p.)
> Federação de Boliche do Distrito Federal - Fábio Grossi (p.p.)
> Federação de Boliche do Mato Grosso do Sul - Helio Ramires de Freitas (p.p.)

Participaram, ainda, como ouvintes:
> Federação de Boliche do Mato Grosso - Célio Belmonte
> Federação de Boliche do Rio Grande do Sul - Oscar Marin

O Presidente da CBBOL, Cesar Maciel, abriu a reunião seguindo a Pauta de Convocação, discursando sobre a situação das Federações, explanando que em sua opinião a maioria das Federações apresenta alguma irregularidade e que as medidas deveriam ser de inclusão, inclusive com a CBBOL apoiando as Federações no sentido de sanar suas pendências, procurando evitar o Legalismo do Legalismo neste momento para evitar prejuízos aos atletas dos estados com problemas.

Walter Costa comentou que o problema de buscar o Legalismo é antigo e que cabe a cada Federação buscar a legalidade.

O Presidente reafirmou que esperava que esta AGO fosse o Marco Zero para uma grande composição que vise o desenvolvimento com união, e propôs um prado de noventa dias para todas as entidades se adequarem.

Foi apurado que as seguintes Federações têm direito à voto: FBBOL, FBDF, FBRJ, FMBOL, FBOLMS, por acordo dos presentes, uma vez que por maioria entende-se que os principais requisitos são documentais e financeiros, e o descumprimento do parágrafo único do artigo 62 do estatuto, de menor relevância.

O Presidente Cesar Maciel expôs que apesar de ter incluído a CBBOL no SICONV do Governo Federal na busca de Convênios, hoje as definições de distribuição de verbas são por editais que privilegiam Esportes Olímpicos, maior número de Federações e filiados, e nossa única forma de ser contemplado nestes processos é crescer o número de Federações e de atletas filiados, enquanto isto nossa principal fonte de recursos seria através de projetos de Lei de Incentivo, mas que pequenas pendências acumuladas ao longo dos anos nos impedem e que são pendências de fácil solução, uma vez que nos últimos anos não tivemos recursos de órgãos estatais e que com ações contábeis práticas podemos saná-las e, com agilidade, estar aptos a buscar estes recursos. Foi aprovado pela maioria que dentro da legalidade se proceda a estas ações no mesmo prazo concedido às filiadas.

Antes de passar a pauta previamente divulgada o Presidente solicitou uma questão de ordem e apresentou uma proposta que, na prática e por razões sérias de saúde, o Vice-Presidente Geraldo Couto, se encontra demissionário desde o final de 2012, e entendia que devido ao momento propício de evolução do esporte demonstrada nas pistas e em nossas participações nos organismos maiores tanto de nível nacional e internacional, mesmo num regime presidencialista a descentralização do poder visando a maior participação dos envolvidos seria a única solução, pois o pequeno número de envolvidos na condução de todas as tarefas historicamente acontece tanto na CBBOL quanto nas filiadas, sugeriu que a administração da CBBOL passasse a ser por um Conselho Gestor, proposta que seria homologada numa próxima AGE, mas que teria efeitos práticos imediatos, uma vez que nomear Assessores é prerrogativa da Presidência. Esta proposta foi rejeitada por boa parte dos presentes e o Presidente pediu a palavra para dizer que visando somar mais ao nosso esporte, a melhor solução seria apresentar uma renúncia coletiva da Diretoria, uma vez que seguir sem um Vice-Presidente, apesar de legal, compromete um trabalho de equipe, pelos fatores já apresentados anteriormente e, desta forma, estaria dando oportunidade a um maior número de envolvidos participar da administração pela via direta da eleição, já que um Conselho Gestor foi rejeitado pelos presentes.

Após debates dos presentes ficou aprovada que a melhor data para a eleição seria o Campeonato Brasileiro de Clubes, para maior participação dos Presidentes, ficando na responsabilidade do Presidente atual, conduzir o Processo Eleitoral, visando o cumprimento dos aspectos legais, Cesar sugeriu que por se tratar de AGE deveríamos aproveitar para buscar adequações ao Estatuto, sanando dúvidas quanto à legalidade do Estatuto 2005 e trazendo avanços sugeridos por muitos, sugeriu um debate eletrônico, com reuniões presenciais nas Taças Brasília e BH, que facilitariam as decisões a serem tomadas na AGE do Campeonato Brasileiro de Clubes.

Sugerido por Paulo Feijó, chegou-se ao consenso que Fabio Grossi reconsiderasse seu afastamento da Diretoria Técnica, visto que temos processos de Convocação em andamento durante esse processo de transição, prontamente aceito pelo Presidente, que afirmou que indiferente ao pedido anterior do Fabio, todos seus critérios divulgados foram mantidos pela atual Gestão.

Voltando aos itens de pauta, foi exposto e aprovado por todos que todos os eventos 2012 foram realizados com êxito e dentro de todos os aspectos administrativos, técnicos e legais.

A análise do Projeto Orçamentário ficou prejudicada, porém recomenda-se que por rotinas normais neste período restante até a eleição, se adote a prática de uso proporcional da última Previsão Orçamentária aprovada, visto que continua sendo de responsabilidade da Diretoria a gestão da entidade até a posse da nova Diretoria.

Quanto ao sediamento internacional, o Presidente informou que existem importantes decisões a serem tomadas, inclusive quanto à sede do próximo Campeonato Ibero-americano, entidade da qual é o Vice-Presidente, razão pela qual proporá inscrição de chapas até o início da Taça Brasília, para termos a oportunidade de apresentar neste evento aos possíveis candidatos estas possibilidades de sediamento.

A seguir foram apresentadas as contas do exercício 2012 através de um Balanço Patrimonial, com detalhamento das despesas relevantes para apreciação dos presentes, neste momento foi sugerido por Fabio Grossi que a AGO considere cumprida a exigência legal de apreciação das contas no 1.º trimestre, ficando o presidente na responsabilidade de enviar por e-mail aos estados, que terão a oportunidade de propor ressalvas ou, se assim entenderem, alguma retificação, ficando a AGE como homologatória do ato agora praticado, uma vez que os meses do período de 2013 também são de responsabilidade da atual gestão.

Nada mais havendo a tratar eu, Asdrubal Pedreira Brandão Neto, lavrei a presente que após a aprovação será assinada pelos presentes.

Belo Horizonte, 30 de março de 2013

Federação Baiana de Boliche - (a) Asdrubal Pedreira Brandão Neto

Federação Mineira de Boliche - Walter Costa

Federação de Boliche do Rio de Janeiro - (a) Guilherme Vedovani

Federação de Boliche do Distrito Federal - (a) Fabio Grossi

Federação de Boliche do Mato Grosso do Sul - (a) Helio Ramires de Freitas

Federação de Boliche do Mato Grosso - (a) Célio Belmonte

Federação de Boliche do Rio Grande do Sul - (a) Oscar Marin

CBBOL - (a) Geraldo Cesar Maciel